• historia-1
  • historia-2
  • historia-3
  • historia-4

História

Escrito por Administrador Ligado . Publicado em História

1 1 1 1 1 1 1 1 1 1 Rating 5.00 (1 Vote)

O Acampamento Shalom nasceu da visão dos missionários americanos Max Edwards e Jessé Murphy, ligados à OMS International, visando ter um local para apoiar as igrejas cristãs em programas de evangelização mais efetivos. O intuito era agregar mais ferramentas às estruturas já estabelecidas pela OMS na região – a sede da OMS, Igrejas Missionárias e ISBL de Londrina.

A propriedade foi adquirida em junho de 1976, com recursos ofertados por David Fisher, um fazendeiro de Iowa. A construção do acampamento foi quase toda realizada por voluntários norte-americanos que vinham em grupos – os chamados “Men for Missions”. Inúmeros grupos passaram pelo Acampamento Shalom e merece destaque o nome de Dale Larrance, um fazendeiro de Illinois, que esteve no Brasil por mais de vinte vezes para cooperar com o Acampamento e igrejas. Max Edwards estima que mais de 300 norte-americanos, distribuídos em 35 grupos, passaram pelo acampamento.

O primeiro acampamento foi realizado em janeiro de 1980 e, desde então, centenas de encontros já foram realizados por inúmeras igrejas e organizações de Londrina e região. Os primeiros zelador e cozinheira foram Miguel e Lucila, um casal de Panorama-SP que aceitou o desafio de Max Edwards para trabalhar em Londrina. Depois deles, muitos outros irmãos passaram por aqui e deram sua contribuição de variadas formas. Digno de nota é a passagem de Thomas e Margaret Scott, missionários irlandeses que fortaleceram o nome do Acampamento Shalom e estabeleceram o padrão de qualidade e atendimento que temos até hoje. Também foram administradores do Acampamento: Darryl e Lynn Mishler, Eugênio e Cris Fitch, Jay e Cristina Edwards, Nigel e Priscila Mckee, David e Conce Roof, dentre outros.

Um fato interessante é sobre o grupo de Men for Missions, que construiu a capela de cultos. Ao final da obra, os trabalhadores se comprometeram a orar continuamente pela salvação de uma pessoa para cada bloco de cimento que utilizaram na capela. Estima-se que a capela tem mais de 6 mil blocos, mas certamente a quantidade de pessoas que ouviram o Evangelho no Acampamento Shalom já supera em muito este número.

O Acampamento Shalom foi administrado, desde sua fundação, pela OMS Internacional. No ano de 2010 passou a ser administrado pela Convenção Nacional das Igrejas Missionárias e, atualmente, está sob os cuidados de uma de suas igrejas, a Igreja Missionária Comunidade Shalom.